Área do cabeçalho
gov.br

Este sítio foi reprojetado para melhor atendê-lo. Acesse já pelo celular e veja mais essa novidade

Portal da UFC Acesso a informação da UFC Ouvidoria Conteúdo disponível em: Português

Universidade Federal do Ceará
Pró-Reitoria de Graduação

Área do conteúdo

Conheça a importância dos Programas de Educação Tutorial (PETs) para os alunos de graduação da UFC

Data de publicação: 22 de dezembro de 2021. Categoria: Notícias

Contemplando os eixos ensino, pesquisa e extensão, a Universidade Federal do Ceará conta com 43 núcleos do Programa de Educação Tutorial (PET), grupos de aprendizagem que desenvolvem atividades acadêmicas no âmbito dos cursos de graduação. Os PETs contribuem para a formação dos estudantes e ajudam no combate à evasão escolar nas instituições de ensino superior (IES).

Organizados nas IES de todo o País, na UFC os grupos são formados por 12 membros remunerados com bolsas de R$ 400,00 e podem receber até mais 6 integrantes voluntários. Os grupos desenvolvem atividades acadêmicas de natureza coletiva e interdisciplinar, sob a tutoria de um professor com vasta experiência e produção acadêmica, vinculado ao respectivo curso de graduação ou departamento ao qual a unidade do PET pertence.

Os PETs contribuem para a formação dos estudantes e ajudam no combate à evasão escolar nas instituições de ensino superior (Foto: Viktor Braga/UFC)

 

O programa visa contribuir para o aumento da qualidade da formação acadêmica dos alunos de graduação, estimular a formação de profissionais e docentes de elevada qualificação, formular novas estratégias de desenvolvimento e modernização do ensino superior no País e instigar o espírito crítico, bem como a atuação profissional pautada pela cidadania e pela função social da educação superior. Um dos principais objetivos é a contribuição com a política de diversidade nas IES, por meio de ações afirmativas em defesa da equidade socioeconômica, étnico-racial e de gênero.

Os PETs fortalecem a graduação, ajudando os alunos ingressantes a se adaptar ao curso. Além disso, combatem a reprovação, a repetência e a desistência nos primeiros semestres e desenvolvem ações de ensino, pesquisa e extensão para atender às demandas da sociedade”, destaca o Prof. Ari de Andrade, coordenador de Acompanhamento Discente.

ATIVIDADES REMOTAS – “Durante o período de isolamento social decorrente da pandemia de covid-19, os PETs da UFC foram convocados a propor ações que pudessem diminuir o impacto da situação nos alunos participantes do Programa diante da nova dinâmica das aulas remotas. Todos os PETs foram fundamentais no fortalecimento da graduação”, explica o Prof. Ari de Andrade.

É o que confirma a estudante Amanda Nascimento, que ingressou no PET do Curso de Pedagogia da Faculdade de Educação (FACED) como bolsista remunerada duas semanas antes do início da pandemia. “Além de petiana, eu sou casada, já era mãe de dois meninos e engravidei depois que entrei no grupo. Fui acolhida por todos. O PET foi um divisor de águas, um motor que impulsionou minha permanência no curso, não posso negar que o ensino remoto, por diversas vezes, é exaustivo. Não é fácil gerir a vida acadêmica, ser bolsista e dona de casa, mas o apoio das minhas companheiras foi fundamental, me fez compreender que esses ambientes não são apenas espaços elitistas, pelo contrário, devem ser diversificados com discentes mães, LGBTs e negros que se comprometam com a filosofia do programa.”

Reunião on-line de confraternização natalina dos membros do PET do Curso de Pedagogia (Foto: Acervo Pessoal)

 

O PET de Pedagogia é composto por 12 bolsistas remunerados, sob tutoria do Prof. Gerardo Vasconcelos. Ele explica que inicialmente houve grande tensão no grupo devido ao contexto de covid-19, mas que aos poucos todas as atividades do planejamento anual foram realizadas. “Utilizamos nossos canais para realizar vários debates abertos sobre temas relevantes para a formação do pedagogo: escola diferenciada para os povos indígenas, educação ambiental, feminismo negro, combate ao racismo e à homofobia. Tivemos ainda amplos debates sobre assédio na universidade, comemoramos o centenário de Paulo Freire, patrono da educação, e publicamos bastante em vários encontros acadêmicos, inclusive em parceria com PETs de Pedagogia de outras instituições”.

Creio que vencemos um grande desafio. O primeiro foi manter a saúde física e mental dos nossos alunos em uma sociedade adoecida. Foram muitas perdas de pessoas queridas, professores, técnicos e alunos da FACED. Foi um contexto muito doloroso, todavia o PET seguiu firme e convencido de que poderia contribuir para fortalecer ainda mais os laços na graduação”, declarou Gerardo Vasconcelos.

PESQUISA – Para o Prof. Gerardo Vasconcelos, o destaque do ano foi a publicação de artigo sobre a importância do Programa de Educação Tutorial na formação de docentes na FACED, na Revista Eletrônica Científica Ensino Interdisciplinar (RECEI), da Faculdade de Educação da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), de qualis A. “Muito nos honra ter nossos alunos de graduação publicando em um periódico acadêmico de referência”, comemorou.

O tutor do grupo explica que o artigo preenche uma lacuna muito importante na história da FACED. “Nosso PET tem mais de 30 anos, já participou da formação de inúmeros profissionais de educação do ensino básico e superior. E o que havia de publicação sobre a história do PET? Simplesmente nada. Ao detectar essa lacuna resolvemos coletar informações e documentação para saber se o PET havia de alguma forma contribuído para a formação de professores da FACED. O artigo trata dessa história a partir das narrativas de três docentes, uma delas coordenadora do Curso de Pedagogia noturno. Concluímos que a importância do PET foi e continua sendo extraordinária.”

PROGRAMA – Na UFC, os 43 grupos do Programa são divididos em duas modalidades: 20 são do PET-SESU, regido pela Secretaria de Educação Superior (SESU) do Ministério da Educação (MEC), e 23 do PET-UFC, criado em 2008, com regimento próprio. Atualmente, todos os campi da UFC possuem unidades do PET, exceto o recém-criado em Itapajé. No entanto, o Prof. Ari de Andrade, coordenador de Acompanhamento Discente da Pró-Reitoria de Graduação, afirma que serão criados grupos no campus em breve.

Para fazer parte do programa, os estudantes precisam ter um Índice de Rendimento Acadêmico (IRA) acima de 7,0, além de outros requisitos que podem ser definidos pelos tutores, de acordo com as especificidades de cada curso de graduação e o regimento do programa. Os processos seletivos também ficam a cargo dos tutores da unidade.

Fontes: Prof. Ari de Andrade, coordenador de Acompanhamento Discente da Pró-Reitoria de Graduação – e-mail: andrade.ari@hotmail.com; Prof. Gerardo Vasconcelos, da Faculdade de Educação da UFC – e-mail: gerardovasconcelos@ufc.br

Acessar Ir para o topo